Arquivo | Março, 2012
Citação

Pare de Coçar as Feridas

22 Mar

 

Preciso Parar de Querer 

De Um Filho, de Um Cego

Bem,
Já tentei fugir
Já tentei mentir pra mim mesmo que não
Eu vou conseguir
Falo alto pra me ouvir
Mas volto sempre e dou uma coçadinha aqui e ali

Ferida, sempre aberta
E eu a reclamar de Ti
Sou eu quem não paro de

Coçar as feridas
Me algemar de novo
Logo eu que sou livre
Me pego lembrando
Querendo esquecer
Tentando aprender
Que pra você me curar preciso parar de querer

_____________________________________________________________

Estava ouvindo esta canção e comecei a prestar atenção na verdade contida nessa letra.

Se alguma vez em sua vida você já se feriu, então deve saber que cada ferida, dependendo da profundidade, tem seu tempo cicatrização, e a pior coisa que se pode fazer é ficar cutucando-a, coçando ou arrancando a pele que que cria sobre ela. O pecado é uma ferida em nossa vida espiritual, ele nos machuca e somente Deus pode operar a cura, isso não é instantâneo, não adianta querer muito, não adianta ficar olhando, torcendo para que ela saia dali, muito menos ficar cutucando, lembrando ou se culpando.

Quantas vezes, nos arrependemos, somos perdoados por Deus, mas logo depois  nos pegamos remoendo a culpa de pecados que já nem são mais nossos. O fato é que Deus realmente nos perdoa, e quando nos perdoa, Ele o faz por inteiro, de coração e realmente se esquece do que cometemos no passado, mas nunca se esquece da sua misericórdia pois esta não tem fim, ela se renova manhã após manhã.

Quantos cristãos acorrentados pelos pés e pelo pescoço, carregando a culpa que já está sobre Jesus?! Eles simplesmente não se deixam perdoar, sentem-se imerecedores da graça de Deus. Meu querido, não seja escravo da culpa. Enquanto você não parar de coçar as feridas, elas nunca vão sarar, deixe Deus cicatrizar as feridas que há em você, Deus já se esqueceu, esqueça você também!

Isaías 43:2 o próprio Deus diz: “Eu, eu mesmo, sou o que apago as tuas transgressões por amor de mim e dos teus pecados não me lembro“

Miquéias 7:18,19 diz: “Quem, oh Deus, é semelhante a ti, que perdoas a iniquidade e te esqueces da transgressão do restante da tua herança? O Senhor não retém a sua ira para sempre, porque tem prazer na misericórdia. Tornará a ter compaixão de nós; pisará aos pés as nossas iniquiadades e lançará todos os nossos pecados nas profundezas do mar.”

Anúncios

O SABÃO

12 Mar

 12/03/2012 por Marcia Rezende

 Como a grande maioria das mulheres brasileiras, divido o meu tempo entre trabalho (no meu caso, ministério), igreja, família, casa, compromissos pessoais, supermercado, farmácia, médico, banco, etc, etc, etc… Claro que nunca dá tempo de fazer tudo, então vamos focando no que julgamos ser prioritário. No meu caso, o serviço doméstico sempre fica por último, e às vezes o trabalho vai se acumulando. De repente, chega o dia em que não dá mais para adiar.

Hoje precisei limpar dar uma “geral” no fogão. Fogão brilhando, olhei para o lado e notei o quanto o armário estava sujo!! Impossível deixá-lo neste estado ao lado do fogão limpinho. E assim foi, até que azulejos, pia, geladeira e chão fossem todos igualmente limpos.

Horas se passaram e, enquanto isso, o Espírito Santo ministrava ao meu coração: não percebemos o quanto estamos sujos até que começamos o processo de limpeza.

Nossa vida espiritual é assim: se imediatamente após cometermos um pecado o reconhecemos, nos arrependemos e o confessamos, somos lavados e justificados pelo sangue do Cordeiro e seguimos nossa caminhada em santidade.

Mas, se ao invés disso, estamos ocupados demais com outras prioridades e deixamos a limpeza pra depois, a sujeira vai se acumulando, acumulando e acumulando até o ponto em que nem a identificamos mais, ou a bagunça é tamanha que achamos que não tem mais jeito.

Daí o processo de limpeza é mais doloroso, leva mais tempo, dá mais trabalho, cansa, dói.

Que sejamos sábios, humildes e prontos a nos livrar de tudo o que nos afasta de Deus, não em faxinas esporádicas, mas num processo contínuo de restauração, libertação e cura. Simples assim!

Porque a simplicidade do Evangelho nos conduz à essência do Cristianismo: amar a Deus e ao próximo.